2014/10/31

Minas Gerais: Rio São Francisco passou de atração a canal de esgoto





Diario de Pernambuco

BRASIL

«Cercado em uma margem pelos encanamentos que despejam esgoto sem tratamento da cidade de Buritizeiro, no Norte de Minas, e na outra pelos dejetos lançados em córregos vindos da vizinha Pirapora, o Rio São Francisco – maior atração das duas cidades – se tornou um fio d’água extremamente poluído. Hoje, o que já foi um importante posto pesqueiro se resume a um leito quase seco, que mais parece uma estrada de areia e pedras. Não era para ser assim. Amanhã, completam-se cinco anos da promessa feita pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, no lançamento da ETE de Buritizeiro, garantiu que o projeto não seria deixado pela metade e que a revitalização do Velho Chico seguiria no mesmo ritmo da transposição de águas do manancial para bacias do semiárido nordestino. “Não é possível tirar água do Rio São Francisco para matar a sede de 12 milhões de nordestinos sem antes recuperá-lo”, discursou Lula, que citou ações como o reflorestamento para recuperar as matas ciliares e o tratamento de esgoto como medidas imprescindíveis. Hoje, elas estão paralisadas, como todo o programa geral de recuperação do rio.

»As obras de Buritizeiro foram orçadas em R$ 12,5 milhões e incluíam a implantação de 100 quilômetros de redes coletoras e a construção da ETE, mas estão paradas desde abril de 2010. Foram abandonadas pela vencedora da licitação, uma empreiteira do Paraná. O presidente do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Codema) de Buritizeiro, Gustavo Lino Mendonça, afirma que, em vez de começar pela construção da ETE, a construtora iniciou os trabalhos pela instalação de redes de esgoto na periferia da cidade, onde os serviços ficaram incompletos.

»Assim, quem não despeja o esgoto direto no rio o faz indiretamente, pois moradores ainda têm de recorrer a fossas, que contaminam o solo e consequentemente, poluem o manancial por meio dos lençóis subterrâneos. “Só fizeram a parte mais barata da obra. Mas a tubulação ficou enterrada e não poderá mais ser aproveitada. Para adequar o projeto, que também foi malfeito, e finalizar a nova ETE serão necessários R$ 24 milhões”, estima. .../...»





2014/10/30

O sonho olímpico de despoluir a Baía de Guanabara





Blog do Planeta
Época
Marcia Hirota
e Leandra Gonçalves

BRASIL

«A meta de sanear 80% da Baía de Guanabara até 2016 faz parte dos compromissos assumidos pelo Governo do Estado com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para a realização das Olimpíadas do Rio de Janeiro. No entanto, são tantos anos de descaso com a sustentabilidade da Baía que é difícil acreditar que a despoluição de suas águas será um legado dos Jogos Olímpicos.

»Financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pelo Banco Japonês para Cooperação Internacional (JBIC), o Programa de Despoluição da Baía de Guanabara foi iniciado em 1994. Em seu encerramento oficial, em 2006, tinham sido gastos – ao longo de 13 anos – US$ 760 milhões, em valores nominais. A partir de 2007, com a troca de governo, iniciou-se o Programa de Saneamento dos Municípios do Entorno da Baía de Guanabara (PSAM) – uma das principais iniciativas do Plano Guanabara Limpa.

»Apesar dos milhões já investidos, a Baía, um dos cartões postais do Rio de Janeiro, continua em elevado estado de poluição graças à intensidade das atividades industrial e portuária, dragagens, ausência de saneamento básico e controle do despejo de dejetos industriais, entre outros problemas.

»A herança histórica de degradação ambiental é imensa e é por esse motivo que a meta ambiciosa de despoluição precisa ser assumida pela sociedade como um todo – em especial pelas prefeituras e habitantes dos 15 municípios do seu entorno, processo que não aconteceu efetivamente até hoje.

»Não há projeto milagroso que irá despoluir a Baía até 2016 se não forem tratados os esgotos e diminuída, por exemplo, a quantidade de lixo comum e hospitalar que é jogada de forma irregular na bacia hidrográfica e acaba por afetar não só as suas águas, mas os leitos dos rios e canais que a compõem. .../...»





2014/10/29

Brasileiros integrantes de projeto de despoluição dos oceanos fazem palestra na XVI FIMAI





Segs.com.br
Cristiane Del Gaudio

BRASIL

«A abertura do XVI SIMAI – Seminário Internacional de Meio Ambiente Industrial terá a equipe do Laboratório de Polímeros da Universidade de Caxias do Sul, que atua junto ao projeto The Ocean Cleanup, iniciativa inovadora para despoluir os oceanos.

»Os resíduos retirados dos mares são materiais de pesquisa do Curso de Produção Industrial de Plásticos do Centro de Ciências Exatas e da Tecnologia – CCET, da Universidade de Caxias do Sul (UCS), cuja turma já produz utensílios resultantes dessa limpeza. Esse trabalho vai de encontro ao projeto de despoluição dos oceanos The Ocean Cleanup e tornou a UCS parceira da iniciativa. “Projeto The Ocean Cleanup no Brasil - Contribuição Brasileira com o uso da Tecnologia em Polímeros para Análise e Aproveitamento dos Plásticos dos Oceanos” é o tema da palestra do professor Diego Piazza, coordenador do Curso de Produção Industrial de Plásticos, e de Kauê Pelegrini, acadêmico do Curso de Engenharia Ambiental da UCS, na abertura do XVI SIMAI – Seminário Internacional de Meio Ambiente Industrial, no dia 11 de novembro, evento paralelo à Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade - FIMAI 2014, em São Paulo (SP).

»O projeto The Ocean Cleanup foi idealizado por Boyan Slat, um jovem holandês de 21 anos que lançou o desafio que chamou a atenção do mundo todo por usar um método simples e eficaz de remover os resíduos depositados nos oceanos. A convergência de objetivos fez com que a universidade gaúcha oferecesse contribuição para desenvolver processos de transformação dos plásticos recuperados em novos objetos. Essas experiências serão relatadas em detalhes no painel internacional do XVI SIMAI. Eficiência Energética, remediação de passivos ambientais, gerenciamento de resíduos, incineração de resíduos, termovalorização de resíduos, construção sustentável e vários outros são os temas do primeiro dia. A programação segue com outras dezenas de palestras, explorando todo o universo da sustentabilidade na indústria e a eficácia dos processos em prol da qualidade ambiental nas empresas. .../...»





2014/10/28

Enterrados vivos: a saga dos rios de Pinheiros





Brasil Post
Gustavo Angimahtz

BRASIL

«São Paulo remete ao caos. Por trás desta realidade urbana, existe uma natureza, doente, mas viva. Ou melhor, por baixo desta realidade, já que a metrópole é uma verdadeira laje construída sobre uma imensa bacia hidrográfica. Em 1554, São Paulo era de Piratininga, antigo nome do rio Tamanduateí. Foi na junção deste com o Anhangabaú que foi fundada, e sua urbanização aconteceu de forma desenfreada. Os rios Tietê e Pinheiros eram as marcas dos limites da cidade, que precisava de energia e ocupação. O bairro de Pinheiros, rota para tropeiros que bebiam água nas bicas do rio Verde antes de subir o espigão da Paulista, não possuía infraestrutura, e as cheias castigavam a região, que fica em uma parte mais baixa da cidade. São Paulo é, na verdade, uma riquíssima bacia hidrográfica.

»"Ninguém pensa que São Paulo está lotada de rios, porque rio não morre. Eles ficam doentes, arrebentados, totalmente enterrados. Enterrados vivos", dramatiza Luiz Campos Jr., que organiza expedições com o grupo Rios e Ruas pela cidade. "Não tem jeito de estar em qualquer lugar da área central da metrópole sem estar a menos de 200 metros de um curso d'água. As pessoas dizem que estou louco, mas ainda não me desmentiram", completa o especialista. [...]

»Hoje em dia, devido à poluição dos rios de São Paulo, as usinas funcionam com capacidade muito reduzida, pois a água não flui com a mesma velocidade que antes. "A poluição é problema habitacional, social, urbanístico. O problema ambiental é a conseqüência", explica Luiz Campos Jr."O foco é que está errado, assim como o problema das enchentes é tratado como um problema técnico de engenharia, mas vai muito além disso", completa.

»O professor Delijaikov concorda e complementa: "O problema, quando se fala de infraestrutura regional, não adianta falar do rio maior. Para despoluir o Tietê, tem que despoluir o afluente do rio Tietê, e o afluente deste rio menor. Se não controlar essa unidade hidrográfica de gerenciamento, sistemicamente falando, de maneira capilar, não é possível resolver nada", afirma. .../...»





2014/10/27

«Newsletter L&I» (n.º 27, 2014-10-27)



Inovação disruptiva (Brasil)

Tenha um propósito maior do que o lucro [web] [intro]

Para presidente da EMC Brasil, TI no Brasil sofrerá revolução [web] [intro]

Segurança da Informação nas Pequenas e Médias Empresa é disruptiva [web] [intro]

Como priorizar seu orçamento de inovação [web] [intro]



Inovação disruptiva (Portugal, África lusófona)

A Inovação como Factor de Criação de Valor [web] [intro]

Inovação - Sucesso ou Catástrofe? [web] [intro]

Comportamento de manada entre os investidores faz aumentar o risco de disrupções e torna-lo permanente nos mercados financeiros [web] [intro]

Os 7 Segredos da Cultura de Inovação de Silicon Valley [web] [intro]



Innovación disruptiva

Innovación Disruptiva [web] [intro]

El cocinero estrella, empresario e innovador responde [web] [intro]

Innovación disruptiva en tecnologías de la Seguridad #dinnoTSec14 [web] [intro]

El almidón de yuca y su contribución con el petróleo venezolano [web] [intro]



Innovation perturbatrice

Les entreprises doivent continuer à innover afin de rendre plus probable l'émergence en leur sein de technologies perturbatrices [web] [intro]

L’innovateur, l’éternel perturbateur de l’ordre établi? [web] [intro]

La tarification dynamique est-elle le marché idéal? [web] [intro]

Insensibles aux innovations perturbatrices [web] [intro]



Disruptive innovation

The four disruptive innovations set to change retail [web] [intro]

Sustaining disruptive innovations in water [web] [intro]

Is Disruptive Innovation Dead? [web] [intro]

Disruptive Innovation Festival [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2014/10/24

Como priorizar seu orçamento de inovação



Como priorizar seu orçamento de inovação



Lean Institute Brasil
Brad Power

BRASIL

«Refletimos sobre isso e sobre um contexto mais amplo que vimos em nosso trabalho e criamos quatro pensamentos de alto nível sobre quais recursos e dinheiro pode ser investido:

»1. Operações diárias. Isso é puramente sobre executar dentro de um modelo operacional existente e estável.

»2. Melhoria Incremental. Isso inclui a maioria dos projetos de melhoria contínua da Miríade Lean e dos Seis Sigma que guiam a eficiência e eficácia melhoradas dentro de uma estrutura de gestão e organizacional.

»3. Sustentar a Inovação. Aqui uma mudança inovadora é obtida modificando o modelo operacional ou cruzando os limites internos. Isso requer uma estrutura de gestão extraordinária, como um escritório de programa, um gerente do fluxo de valor ou um dono de processo para guiar esse tipo de investimento, mas usa a rede de valor atual para atender os clientes atuais.

»4. Inovação Disruptiva. Essa significante inovação no modelo operacional da organização e rede de valor facilita a conquista de crescimento em um novo mercado, rompendo com os jogadores estabelecidos. Isso normalmente requer incubação e proteção contra um novo risco em uma unidade autônoma.


»Quando olhado dessa maneira, o gasto cria impactos e benefícios distintos que podem ser balanceados e ajustados no intervalo entre hoje e amanhã. .../...»





2014/10/23

Segurança da Informação nas Pequenas e Médias Empresa é disruptiva



Segurança da Informação nas Pequenas e Médias Empresa é disruptiva



efagundes.com
Eduardo Fagundes

BRASIL

«As práticas que as pequenas e médias (PME) adotam para suas informações podem ser disruptivas para as grandes empresas. A tendência é que as PME adotem cada vez mais soluções SaaS (Software as a Services) para gerenciar suas informações. Não tem o menor sentido investirem em soluções locais e dedicadas de gestão da informação quando estão disponíveis no mercado soluções robustas operadas por grandes fornecedores de sistemas de informação, tais como SAP, Microsoft, Totovs, Google ente outras. Essas soluções em ambiente Cloud Computing trazem muito mais segurança que as soluções locais, pelo simples fato que esse é o negócio dos fornecedores de software. […]

»As práticas adotadas pelas PMEs de gestão da informação em ambientes Cloud Computing são disruptivas para as grandes empresas. Para as grandes empresas soluções SaaS são fatores de eficiência, redução da burocracia e aumento da margem de lucro. O maior desafio é mudança de paradigma dos executivos das grandes empresas. Para empresas familiares é uma opção. Para as empresas de capital aberto uma questão de respeito com dinheiro dos acionistas. .../... »





2014/10/22

Para presidente da EMC Brasil, TI no Brasil sofrerá revolução



Para presidente da EMC Brasil, TI no Brasil sofrerá revolução



Canaltech

BRASIL

«Para o presidente da EMC Brasil, o setor de tecnologia no Brasil deverá passar por uma transformação intensa nos próximos três anos, no qual novas tecnologias e serviços disruptivos baseados em software deverão movimentar o mercado e exigir ações mais efetivas de empresas que queiram continuar competitivas. […]

»Sobre Big Data, o executivo afirmou que vê no Brasil um mercado já avançado no que diz respeito a adoção de soluções de análise de dados internos estruturados e não-estruturados por empresas. Ainda assim, o país ainda está muito focado no uso do Big Data para ganho de produtividade, e fica atrás de outros mercados em relação ao uso dessas informações para a criação de novas tecnologias disruptivas.

»“Eu ainda vejo o brasileiro muito focado na sua eficiência operacional, na redução de custos devido a regulamentação, e até em segurança, de forma preditiva”, opinou. “Agora, o americano já está à frente quando fala em criação de aplicações disruptivas, como Uber e o Netflix”. .../...»





2014/10/21

Tenha um propósito maior do que o lucro



Tenha um propósito maior do que o lucro



Endeavor Brasil
via Diário Catarinense
Luiz Alberto Ferla

MÉXICO

«Novos caminhos vêm sendo desbravados. Falamos em inovação disruptiva, aquela que reinventa a maneira de fazer negócios e de se comunicar. Aquela que melhora a ideia já executada, que a faz ser atrativa, contemporânea e mais, massiva.

»Por isso, pergunto: qual é o seu propósito? Se a sua resposta for algo que represente mais que somente a obtenção de lucro, você está no caminho certo. Estamos em um mundo que resgata e valoriza o verdadeiro espírito empreendedor. Que premia quem encara o risco como uma regra, e que alimenta o impulso inventivo em cada novo desafio. Que apoia relações ganha-ganha, não apenas como estratégia, mas como princípio em tudo o que faz. .../...»





2014/10/20

«Newsletter L&I» (n.º 26, 2014-10-20)



Inovação disruptiva (Brasil)

Boa ideia x Bom Negócio x Negócio Inovador [web] [intro]

Seleção disruptiva, a jornada do novo líder [web] [intro]

Empresas digitais requerem novos líderes de TI, comprova pesquisa [web] [intro]

5 motivos muito errados para ter uma startup [web] [intro]



Inovação disruptiva (Portugal, África lusófona)

Tendências e soluções disruptivas para o mercado Backhaul [web] [intro]

O ecossistema de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Cluster de Nanotecnologia [web] [intro]

Tavira prepara Semana EI UP para jovens empreendedores [web] [intro]

MY-FANS nova plataforma de descontos [web] [intro]



Innovación disruptiva

Los consumidores dictarán la disrupción tecnológica [web] [intro]

Ángel Caballero: «El gran reto es comercializar y comercializar el conocimiento» [web] [intro]

Innovación disruptiva y mercado [web] [intro]

Guayaquil disruptivo [web] [intro]



Innovation perturbatrice

Analyse critique de la littérature scientifique portant sur l’innovation dans le secteur public: bilan et perspectives de recherche prometteuses [web] [intro]

La capacité de Nike à rester une marque innovante et perturbatrice [web] [intro]

L’actualité perturbatrice du readymade dans le post-numérique [web] [intro]

Gartner livre son top 10 des tendances techno pour 2015 [web] [intro]



Disruptive innovation

3 things you need to know about disruptive innovation in higher ed [Educause 2014][web] [intro]

Creating the future through disruptive innovation [web] [intro]

The Disruption Machine. What the gospel of innovation gets wrong [web] [intro]

Disruptive innovations, enabled by technology, are allowing people to lead better, more efficient lives [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2014/10/17

5 motivos muito errados para ter uma startup



5 motivos muito errados para ter uma startup



EXAME
Priscila Zuini

BRASIL

«Não existem estudos concretos sobre o número de startups abertas no Brasil, mas uma pesquisa rápida pode comprovar que este é um movimento crescente. O sucesso de apps, como os de taxi e de delivery, incentiva aspirantes a empreendedores a se arriscarem neste mercado.

»A verdade é que ter um negócio, principalmente se ele for altamente escalável, podendo ser replicado no mundo todo a uma velocidade muito rápida, é um desafio enorme. “Nosso ambiente empreendedor é muito hostil”, alerta Cynthia Serva, coordenadora do Centro de Empreendedorismo e Inovação do Insper.

»Para Cassio Spina, da Anjos do Brasil, existe uma forte tendência em começar um negócio atualmente que precisa ser observada. “Tem mais gente querendo empreender, mas tem também muita gente sendo levada pela onda. Pensa bem, é difícil, é desafiante, tem que ter muita vontade, resiliência e capacidade de aguentar os problemas para conseguir ter sucesso”, diz Spina. Antes de tirar a ideia do papel, conheça cinco motivos errados para começar uma startup.


»1. Quero ficar milionário

»Se Mark Zuckerberg ficou bilionário com um negócio que começou na faculdade, por que outros não poderiam? O dinheiro, para Spina e Cynthia, deve ser consequência e não motivação. “Achar que vai ganhar muito dinheiro é o motivo errado. Empreender é uma coisa muito difícil e tem muitas chances de não dar certo. Quem só tem esse objetivo vai desistir no meio do caminho”, explica Spina.

»É preciso, sim, ter a ambição de faturar alto, mas este não pode ser o único ou principal objetivo do projeto. “O primeiro problema é querer ficar rico, ser o novo Facebook do momento. Empreender é difícil, requer muita coragem e esforço. Dinheiro é consequência e se for o principal objetivo o empreendedor vai ficar frustrado”, afirma a professora do Insper.


»2. Odeio meu chefe

»Com mais estímulo ao empreendedorismo, muitos brasileiros estão tomando coragem para tirar uma ideia do papel e ainda se livrar de um chefe ruim. “Eu falo sempre que o empreendedor vai ter chefe pior que chama cliente, que vai demandar muito mais do que o próprio chefe”, diz Spina.

»E mais: se você tiver sócios, vai ter que compartilhar decisões e, provavelmente, trabalhar mais do que no emprego. “Empreendedor não tem horário. A responsabilidade dele é pensar no negócio”, diz Spina.


»3. Preciso resolver um problema pessoal

»É verdade que muitas ideias de startups surgiram de demandas pessoais enfrentadas pelos próprios empreendedores. Este pode ser um excelente caminho para começar um negócio, desde que a necessidade seja de outras pessoas também. “Precisa validar a ideia. O empreendedor tem uma ideia que acha que é a mais disruptiva do mundo e não faz validação mínima, como conhecer público e mercado”, explica Cynthia.

»Para Spina, uma necessidade pessoal precisa ser compartilhada por possíveis clientes para virar de fato um negócio. “Às vezes, é um problema muito pessoal, de poucas pessoas. Por isso, é ter um bom planejamento”, diz.


»4. Odeio tecnologia, mas está na moda

»Se empreender está na moda, abrir um negócio de tecnologia é ainda melhor. É na tecnologia que muitas startups brasileiras estão se desenvolvendo, mas se o futuro empreendedor precisa de ajuda até para usar um smartphone, é melhor repensar os planos.

»“Um erro é empreender em algo que você não conhece ou não gosta. Vai faltar conhecimento específico. O empreendedor não sabe programar, não entende de lógica e acha que pode pagar um desenvolvedor para isso. Assim, dificilmente vai dar certo”, afirma Cynthia.


»5. Os fundos estão cheios de dinheiro para empresas

»Subestimar o investimento financeiro pode ser um erro que custará caro no futuro. Apesar de mais fundos estarem investindo em startups brasileiras, poucos projetos atendem às expectativas dos investidores. “Você precisa saber quanto precisa ter disponível para essa ideia. Muitos ainda buscam como forma de financiamento dívidas ou investimento pessoal e acabam se endividando muito”, diz Cynthia.»





2014/10/16

Empresas digitais requerem novos líderes de TI, comprova pesquisa



Empresas digitais requerem novos líderes de TI, comprova pesquisa



CIO
Felipe Dreher

BRASIL

«Evolução das tarefas dos CIOs pede postura menos processual e alça a tecnologia ao patamar de habilitadora de modelos de negócios disruptivos.

»A digitalização dos negócios deixa de ser coadjuvante no jogo corporativo. Aos poucos, empresas abraçam o conceito, que traz a missão de adotar uma postura tecnológica menos amarrada a eficiência operacional de processos internos e mais como uma habilitadora para o desenvolvimento de modelos de negócios, serviços e produtos disruptivos. .../... »





2014/10/15

Seleção disruptiva, a jornada do novo líder



Seleção disruptiva, a jornada do novo líder



EXAME
José Luiz Tejon Megido

BRASIL

«Disruption virou um termo da moda. Porém se trata de coisa velha. Meu amigo dr. Joaquim Machado, geneticista, me explicava que o termo vem da genética evolutiva: seleção disruptiva é aquela que atropela, interrompe e muda os rumos de uma população natural, que vinha num determinado ritmo de adaptação ao meio ambiente, evolução etc. Muda os rumos e o destino dessa população anterior, para melhor ou para pior. [...]

»O que for repetitivo já morreu ou está em fase pré-velório. Se não desenvolvermos a educação disruptiva, por exemplo, não iremos aflorar para as novas realidades mutantes o potencial das almas humanas. Isso significa o novo líder, o novo poder da liderança, está demarcado no ilimitado da disruptura.

»Participo de um ciclo de formação e de desenvolvimento de novos seniores da Deloitte. São algumas centenas de jovens sendo orientados, estimulados e inspirados aos modelos da inovação disruptiva. Essa jornada, do novo líder, inicia desde o berço, e representa na síntese de todas as sínteses, não permitir que esse líder, agora um adulto novo líder, perca ou esqueça daquela essência, daquela curiosidade, e daquela ingenuidade da vontade de aprender, da sua criança. Esse novo líder precisa atuar com uma convicção inabalável de que a sua criança precisa estar viva e presente em tudo o que faz. Isso independe de idade. [...]

»Aloysio de Andrade Faria (foto), hoje com 94 anos, criou o Banco Real, e agora dirige o Grupo Alfa, um conglomerado de empresas, como sorvetes La Basque, Agropalma, hotéis e centros de exposição Transamérica, C&C, dentre outras, e considerado pela Revista Forbes o 12º homem mais rico do país. Este líder disruptivo almoça uma vez por mês com cada um dos seus diretores. Este homem de sensibilidade aguçada, sente e percebe o que o mundo revela nas suas periferias, e no poder de sua inquietude, provoca e promove inovações disruptivas ininterruptas nas suas obras. Mas, aos 94 anos, onde está localizada a força da disrupção deste líder? Sem dúvida alguma na potência de sua alma. Coisa da criança interior e eterna. .../...»





2014/10/14

Boa ideia x Bom Negócio x Negócio Inovador



Boa ideia x Bom Negócio x Negócio Inovador



Canaltech
Fernando D´Angelo

BRASIL

«Inovar, por sua vez, é a capacidade de resolver problemas (muitas vezes já conhecidos) através de novas soluções.

»Se essa nova solução é uma evolução de algo já existente, então se trata de uma inovação incremental.

»Se é algo que quebra paradigmas e sugere novas abordagens, é chamada de inovação disruptiva.

»E criar uma nova solução não necessariamente significa criar uma nova tecnologia. A inovação pode ser tecnológica, mas também pode acontecer no modelo de negócios, nos processos ou em todos eles ao mesmo tempo.

»Um negócio inovador é um negócio baseado em inovação. Como exemplo, a telefonia celular foi baseada em uma inovação tecnológica. Já o Nespresso foi uma inovação no modelo venda de café. O restaurante por quilo foi uma inovação no processo de servir refeição às pessoas. E o e-Commerce foi uma inovação no modelo de negócios e processos, mas só possível devido uma inovação tecnológica.

»Concluindo, uma boa ideia é simplesmente uma ideia de algo que pode vir a dar certo. Um bom negócio depende de um bom ecossistema e de uma boa execução. Já um negócio inovador propõe uma nova solução a problemas existentes. A junção de tudo isso é que pode transformar o seu negócio em algo único e valioso.

»Mãos à obra! .../...»





2014/10/13

«Newsletter L&I» (n.º 25, 2014-10-13)



Confeitaria, doceria, panificação, pastelaria (Brasil)

Panificadores: transparência tecnológica é apresentado [web] [intro]

Congresso Internacional discute futuro do trigo [web] [intro]

Studio Cake (SP) inova com receita de bolo de churros [web] [intro]

A linha Refrigeração Versatile da Macom permite receber contentores Gastronorm e Euronorm (600 mm × 400 mm – caixas plásticas e assadeiras de panificação e confeitaria) [web] [intro]



Confeitaria, doceria, panificação, pastelaria (Portugal, África lusófona)

Dilma na padaria [web] [intro]

Elevada taxa de empregabilidade na pastelaria [web] [intro]

TECNIPÃO - 4.º Salão Profissional de Máquinas, Equipamentos e Matérias-primas para a Panificação, Pastelaria e Confeitaria [web] [intro]

A tradição do “bolu” (bolo em indonésio) no país foi iniciada pelos portugueses [web] [intro]



Confitería, panificación, pastelería, repostería

¿Cómo será Madrid Fashion Cake 2014? [web] [intro]

AIMPLAS acaba de completar el desarrollo de un nuevo envase totalmente biodegradable para productos de panadería y pastelería a partir de los residuos generados por la propia industria [web] [intro]

Mike McCarey, master class en Think in Cakes, 2ª edición de la Feria Internacional de Repostería Artística en A Coruña [web] [intro]

Gominolas y chocolate con ingredientes dietéticos funcionales: Innovación Alimentaria del International Food Technology Summit & Expo México 2014 FTS&Expo [web] [intro]



Boulangerie, confiserie, pâtisserie

Le régime sans gluten: la solution à tout? [web] [intro]

Le moulin de Signy-l’Abbaye lance une brioche artisanale longue conservation [web] [intro]

Les Étoilés du Pearl : 5 chefs étoilés Michelin proposent un rendez-vous gastronomique au Pearl [web] [intro]

L'Institut Paul Bocuse lance un programme Pâtisserie, Viennoiserie et Boulangerie en partenariat avec l'Ecole Lenôtre [web] [intro]



Bakery, pastry making

3D Printed Mini-Pastries Called ‘Edible Growth’ Created by Dutch Industrial Design Student [web] [intro]

Former White House Pastry Chef Bill Yosses and Yonah Kalikow, Winner of the First Lady’s Healthy Lunchtime Challenge For Massachusetts, at the Let’s Talk About Food Festival [web] [intro]

Introducing students to the art of tasting [web] [intro]

Make a Cronut at Home: New Cookbooks from NYC Bakeries [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2014/10/10

A linha Refrigeração Versatile da Macom permite receber contentores Gastronorm e Euronorm (600 mm × 400 mm – caixas plásticas e assadeiras de panificação e confeitaria)



A linha Refrigeração Versatile da Macom permite receber contentores Gastronorm e Euronorm (600 mm × 400 mm – caixas plásticas e assadeiras de panificação e confeitaria)



Pan Hotéis

BRASIL

«Empresa que atua há mais de 40 anos na área de cozinhas profissionais, a Macom vai levar equipamentos de várias linhas à Equipotel São Paulo. [...] A empresa contará ainda com a linha Bar, sistema constituído por vários módulos para apoio e preparação de bebidas; a linha Refrigeração Versatile, que oferece soluções que se adequam ao tamanho e as características de cada estabelecimento, além da capacidade superior,que permite receber contentores Gastronorm e Euronorm (600 mm x 400 mm – caixas plásticas e assadeiras de panificação e confeitaria); a linha Refrigeração Gastronorm, com refrigeradores e freezers horizontais para preparação, exposição e armazenagem de alimentos e bebidas. .../...»





2014/10/09

Studio Cake (SP) inova com receita de bolo de churros



Studio Cake (SP) inova com receita de bolo de churros



Pan Hotéis

BRASIL

«O Studio Cake, confeitaria de bolos no bairro de Perdizes, em São Paulo, acaba de anunciar o lançamento do bolo de churros, inspirado no famoso doce de origem ibérica. Feito com massa no sabor canela e recheado com doce de leite, o bolo tem a vantagem de ser assado e não frito.

»“É uma receita muito simples, que faz grande sucesso, por isso decidimos apostar neste lançamento”, diz a diretora artística do Studio Cake, Liana Rangel. .../... »





2014/10/08

Congresso Internacional discute futuro do trigo



Congresso Internacional discute futuro do trigo



Portal H2Foz

BRASIL

«A Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) promove de 19 a 21 de outubro, no Hotel Bourbon Cataratas do Iguaçu, Foz do Iguaçu, o XXI Congresso Internacional do Trigo. O evento, cujo tema central será “Desafios de Um Novo Tempo”, deverá reunir perto de 500 participantes, de vários países, entre produtores de trigo, dirigentes de moinhos, da panificação, das indústrias de derivados, representantes do governo e de entidades ligadas ao agronegócio.

»O evento vai avaliar e discutir os desafios de uma das mais importantes cadeias do agronegócio brasileiro, em palestras, debates e mesas redondas. Em paralelo, será realizada a Feira de Negócios, com apresentação e oferta de novos produtos, máquinas, equipamentos, sistemas e tecnologias de ponta. .../... »





2014/10/07

Panificadores: transparência tecnológica é apresentado



Panificadores: transparência tecnológica é apresentado



Infonet

BRASIL

«Empreendedores sergipanos tiveram oportunidade de conhecer como vai funcionar o Projeto de “Transferência de Tecnologia Internacional para o setor de Panificação”. O encontro aconteceu na sede do Sebrae e contou com a presença do presidente do Sindicato da Industria de Panificação e Confeitaria do Estado de Sergipe e do Conselho Deliberativo do Sebrae, Antonio Calos Araujo, panificadores, além de técnicos do Senai e Sebrae.

»O Projeto tem como objetivo a execução de ações que visam ao apoio e à busca de melhores resultados para as empresas do setor panaderil, focando na disseminação de técnicas privilegiadas sobre tecnologia, qualidade e inovação, com o diferencial da transferência internacional de conhecimento na área de panificação por peritos franceses. Ele será desenvolvido nos nove estados do Nordeste. .../... »





2014/10/06

«Newsletter L&I» (n.º 24, 2014-10-06)



Inovação na gestão prisional (Brasil)

Seminário Gestão Prisional e o Paradigma da Reintegracao Social [web] [intro]

O drama da humilhação nos presídios de Alagoas [web] [intro]

Governo do Estado lança a Ouvidoria Penitenciária [web] [intro]

Teleassistencia em saúde nos quatro presídios federais [web] [intro]



Inovação na gestão prisional (Portugal, África lusófona)

Paula Vicente, Prémio Agostinho Roseta na categoria de Estudos e Trabalhos de Investigação, com o estudo Inovação e Gestão da Mudança em Meio Prisional: Uma experiencia em cinco Estabelecimentos Prisionais Portugueses [web] [intro]

Passaporte para a Liberdade: Soluções inovadoras no Sistema Prisional [web] [intro]

Conselho de ministros: Justiça com cinco novos diplomas [web] [intro]

A APAR esteve na 1ª Comissão da Assembleia da República, na sua Comissão de Assuntos Constitucionais Direitos liberdade e Garantias, para defender a Petição para uma Amnistia e Perdão de Penas [web] [intro]



Innovación en la gestión penitenciaria

Primera Sesión de Consejo de la American Correctional Association (ACA) Chapter México: Sistema Penitenciario Mexicano por su Transformación [web] [intro]

Encuentro Regional Gestión y Administración Penitenciaria en el contexto de los Derechos Humanos y la Seguridad Integral [web] [intro]

Pan de Libertad: una propuesta de reinserción social y productiva a través de la inversión del tiempo de la población reclusa en el Centro de Orientación Femenino de Obrajes (COFO) [web] [intro]

Seminario de Derechos Humanos en la sede de la ONU en Uruguay: el sistema uruguayo erradicó hacinamiento carcelario de adultos y debe disminuir prisión adolescente [web] [intro]



Innovation dans le management pénitentiaire

Pierre Botton, l'homme qui veut changer la prison [web] [intro]

Le pénitencier de Derby, dans le nord-ouest de l’Australie, est un établissement innovant qui respecte la culture des détenus aborigènes [web] [intro]

Comment introduire un petit peu de «nature» en milieu carcéral ? [web] [intro]

Prisons ouvertes, un pas vers la réinsertion? Réalisé par Bernard Nicolas. Un film co-écrit par Anne Hirsch [web] [intro]



Innovation in prison management

ART vs REHAB launches free Critical Tool Kits [web] [intro]

Operation Place Safety [web] [intro]

Inside Innovations: Turning Inmates into Entrepreneurs. The Starting Line [web] [intro]

Sustainable Prison Project Connects Inmates to the Environment [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2014/10/03

Teleassistencia em saúde nos quatro presídios federais



Teleassistencia em saúde nos quatro presídios federais



ENAP – Escola Nacional de Administração Pública

BRASIL

«Achamos muito bacana a iniciativa do Ministério da Justiça, que ficou em 2º lugar [do 17° Concurso Inovação na Gestão Pública Federal]. Havia sido implantado um sistema de videoconferência para o detento manter contato com os parentes, o qual também possibilitava realizar audiêndas por videoconferência. Na apresentção dos projetos, conversamos e relatel que a mesma tecnologla utilizada nos presidios poderia servir também para a saúde no sistema prisional. Após aquele momento, foram realizadas reuniões. Hoje, temos um projeto formatado, sendo o nosso objetivo, em 2014, efetivar a teleassistencia em saúde nos quatro presídios federais. .../...»





2014/10/02

Governo do Estado lança a Ouvidoria Penitenciária



Governo do Estado lança a Ouvidoria Penitenciária



Governo do Estado Río Grande do Sul
SUSEPE - Superintendência dos Serviços Penltenciários

BRASIL

«O superintendente da Susepe, Gelson Treiesleben, que no ato representou o secretário da Segurança Pública, Airton Michels, disse que a Ouvidoria é um canal democrático entre o governo e a população. O ouvidor geral do Estado, Cassius Antonio da Rosa, ressaltou que a iniciativa representa “uma nova cultura na gestão pública e nos processos de mediação de conflitos”. Cassius acrescentou ainda que o govemo criou um conjunto de ações para qualificar a gestão pública.

»Luis Alberto Godinho, ao assumir a nova função, enfatizou que o governo, ao instalar urna ouvidoria penitenciária, demonstra coragem. “É o aprofundamento dos principios constitucionais, pois vamos também lidar com questões negativas, que precisam de urna solução”, salientou. .../... »





2014/10/01

O drama da humilhação nos presídios de Alagoas



O drama da humilhação nos presídios de Alagoas



Extra
Vera Alves

BRASIL

«Conhecida como revista vexatória, a revista intíma a que são submetidos os familiares de detentos recolhidos aos presídios de Alagoas atinge indiscriminadamente jovens, adultos, idosos e bebês. Qualquer criança que use fraldas é revistada com o mesmo rigor dispensado a quem tenha mais de 18 anos.

»E não há como criticá-la. Com 76 anos, ela teve que passar pelo constrangimento de se despir totalmente, se agachar três vezes e fazer esforços repetitivos frente a agentes penitenciárias e outra senhora a seu lado, submetida como ela ao mesmo procedimento.A dona de casa simples, interiorana, que sequer usara bermuda, short ou maiô em toda sua vida, de cabelos brancos e pele enrugada pelo passar dos anos, mas sobretudo pelas dores como a perda precoce de um filho em um acidente de carro e as dificuldades com o marido senil, nunca havia sentido tamanha vergonha.

»Nos últimos cinco anos, só voltou a visitar o filho uma única vez, já então sabedora do que a esperava, mas nem por isto menos envergonhada.O drama de ter a intimidade violada não é exclusivo das mulheres de Alagoas. A cena se repete em quase todos os presídios brasileiros à exceção, hoje, daqueles localizados nos estados em que o desnudamento e agachamento são agora proibidos por lei.

»Sob o argumento de ser o mais eficaz para evitar a entrada de drogas, armas e celulares nas penitenciárias, o procedimento levou o Brasil a ser denunciado, este ano, junto à Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas, após as reiteradas denúncias de abusos cometidos por parte dos agentes responsáveis pela revista.Ao longo dos últimos quatro meses, o EXTRA ouviu parentes de presos de Alagoas, defensores dos direitos humanos e autoridades ligadas ao sistema penitenciário e do judiciário sobre o assunto. .../...»