2015/12/29

«Lideranças Inovadoras na Gestão Pública - Parte 2 - Claudio Haddad»





«A palestra "Lideranças Inovadoras na Gestão Pública", realizada pela Fundação iFHC e Fundação Brava, em São Paulo, teve a participação de Claudio Haddad, Presidente do Insper. Ele falou sobre a importância da administração pública no Brasil.» (Fundação iFHC)

Insper: Ensino Superior em Negócios, Direito e Engenharia





Administração Pública e inovação

2015/12/28

Newsletter L&I, n.º 84 (2015-12-28)



n.º 84 (2015-12-28)


Administração Pública e inovação | Administración Pública e innovación |
Administration Publique et innovation | Public Administration and innovation

Um inovador | Un innovador | Un innovateur | An innovator

Uma inovação | Una innovación | Une innovation | An innovation

A execução da inovaçao | La ejecución de la innovación | L’exécution de l’innovation |
The innovation execution



Index


Liderar Inovando (BR)

«Em Discussão - Ciência, Tecnologia e Inovação» [web 1/3] [web 2/3] [web 3/3] [intro]
«O uso da tecnologia na educação é bom ou ruim?» [web] [intro]
«Direito, Inovação Tecnológica e o desafio das novas tecnologias | BioTecJus» [web] [intro]
«Inovação na Educação: Como a tecnologia tem impactado a educação no Brasil» [web] [intro]

Liderar Inovando (PT)

«Navegando em Portugal no mar azul da inovação | Rodrigo Adão da Fonseca» [web] [intro]
«Inovação em Portugal | "Produzimos conhecimento mas não o transformamos em bens transacionáveis"» [web 1/2 (resumo)] [web 2/2 (vídeo completo)] [intro]
«A escola sem paredes - Amorim Lima | Ana Elisa de Siqueira» [web] [intro]
«INOCOP - Inovação e Melhoria da Performance do Cluster Automóvel» [web] [intro]

Liderar Innovando (ES)

«Gestión de la innovación sanitaria no tecnológica» [web] [intro]
«Ecuador, decidido a romper dependencia tecnológica con otros países» [web] [intro]
«Activanet - Una red social para innovadores y emprendedores tecnológicos» [web] [intro]
«Innovación social y sanidad | Ponencia de Elena Urdaneta en el #Foro2ISJOVESOLIDES ESPAÑA» [web] [intro]

Mener avec Innovation (FR)

«Conférence ASIT et l'innovation non technologique» [web] [intro]
«NBIC Le grand gouroux du transhumanisme» [web] [intro]
«L'innovation technologique n'existe pas» [web] [intro]
«L'innovation technologique peut-elle contribuer à une pêche durable?» [web] [intro]

Leadership and Innovation (EN)

«Educational Innovation through Collaboration | Jason Pasatta» [web] [intro]
«The Alibaba Effect: #FICOD15 opening - Porter Erisman, worldwide e-commerce specialist» [web] [intro]
«Harnessing innovative technology to open access to law and justice | Gerald Abila» [web] [intro]
«White House Energy Summit Panel: Role of Foundations in Clean Energy Innovation» [web] [intro]

Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial 4.0 Internacional








2015/12/26

«Inovação na Educação: Como a tecnologia tem impactado a educação no Brasil»





«Apesar dos avanços dos últimos anos, a educação ainda tem grandes desafios no Brasil, tanto no acesso, quanto na qualidade da educação. A taxa de analfabetismo, por exemplo, que vinha em constante queda desde 1998, voltou a crescer em 2012, segundo dados do IBGE, chegando a 8,7% da população total com 15 ou mais anos de idade. Como a tecnologia pode contribuir para a promoção de inovações educacionais efetivas para o aprendizado? Quais são as experiências concretas de como a tecnologia tem impactado a educação no Brasil? A mesa se propõe a refletir sobre o potencial de transformação do uso de tecnologias para ampliar o acesso e avançar a qualidade da educação.

»O Congresso GIFE é o principal encontro sobre investimento social do Brasil. O evento reúne as principais lideranças de investidores sociais do país, além de dirigentes de organizações da sociedade civil, acadêmicos, consultores e representantes de governos, proporcionando um espaço para aprendizado, relacionamento e troca de experiências.» (GIFE)





A execução da inovaçao

2015/12/24

«Direito, Inovação Tecnológica e o desafio das novas tecnologias | BioTecJus»





«Palestra "Direito, Inovação Tecnológica e o desafio das novas tecnologias", proferida pelo Prof. Dr. Wilson Engelmann no I Congresso de Direito, Biotecnologia e Sociedades Tradicionais ocorrido em março de 2014 na UNISINOS/RS, promovido pelo grupo de pesquisa |BioTecJus|.

»PALESTRANTE:

»O Prof. Wilson Engelmann é Mestre e Doutor em Direito pela UNISINOS, onde atua não só como professor, mas também como Coordenador Adjunto do Programa de Pós-Graduação em Direito. Ele é um dos nomes mais importantes no Brasil quando se fala em nanotecnologia. Atualmente, é Líder do Grupo de Pesquisa JUSNANO e trabalha com temas como ética, direitos humanos, inovação tecnológica, dentre outros. Saiba mais sobre o professor no seu currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7143561813892945

»CONGRESSO:

»Ocorrido em março de 2014, o I Congresso de Direito, Biotecnologia e Sociedades Tradicionais contou com 16 palestrantes, além de Grupos de Trabalho e atividades culturais, e debateu as implicações jurídicas, éticas e sociais dos avanços biotecnológicos, do uso de Conhecimentos Tradicionais Associados e da exploração da biodiversidade, bem como das normas legais que visam a proteção face a essas tecnologias. Veja a playlist com todas as demais palestras e atividades do congresso: http://www.youtube.com/playlist?list=PLScYiMR0056AAXsjEq7lGFZ1vSDxTFywl.» (tvsala)





Uma inovação

2015/12/23

«O uso da tecnologia na educação é bom ou ruim?»





«As novas tecnologias estão ganhando cada vez mais espaço nas salas de aula e essa modernização da educação não poder mais ser ignorada por professores, pais e alunos. Afinal, em uma época em que os alunos deixam de ser meros espectadores e passam também a ser colaboradores e contestadores das informações, é necessário repensar a forma de educar, inserindo as novas tecnologias na educação, sem esquecer o lado humano de cada um. É o que defendem Fabiano Ormaneze e Cecília Pavani, coordenadores do projeto Correio Escola Multimídia de Campinas, neste vídeo produzido pelo Mais Ligados. Para eles, não adianta as escolas usarem todo tipo de aparato tecnológico, como os tablets e a lousa digital, se seus professores não estiverem preparados para lidar com essa nova forma de transmitir conhecimento. Da mesma forma, não é possível ignorar o uso da internet tanto em sala de aula, quanto pelos alunos para estudo e realização de trabalhos. É preciso discutir os limites desse uso e as melhores formas de aproveitamento de todo o conteúdo disponível na rede. Confira! Para maiores informações sobre o Projeto Correio Escola Multimídia, acesse: http://www.correioescola.com.br. O Mais Ligados recomenda!» (Mais Ligados)





Um inovador

2015/12/22

«Em Discussão - Ciência, Tecnologia e Inovação»









«Agenda e prioridades do ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação para o biênio 2015/2016 foi o tema da audiência pública que trouxe ao Senado o ministro Aldo Rebelo. Segundo ele, o país avançou nas fronteiras agrícola e mineral, mas vem perdendo espaço no campo da inovação. O apoio do ministério às universidades e seus pesquisadores também foi um dos itens debatidos durante a reunião.» (TV Senado - Brasil)





Administração Pública e inovação

2015/12/21

Newsletter L&I, n.º 83 (2015-12-21)



n.º 83 (2015-12-21)


Administração Pública e inovação | Administración Pública e innovación |
Administration Publique et innovation | Public Administration and innovation

Um inovador | Un innovador | Un innovateur | An innovator

Uma inovação | Una innovación | Une innovation | An innovation

A execução da inovaçao | La ejecución de la innovación | L’exécution de l’innovation |
The innovation execution



Index


Liderar Inovando (BR)

«Empreendedorismo + Tecnologia + Inovação Social: Um giro pelo mundo» [web] [intro]
«Transformação social através do design de interação - H.D. Mabuse» [web] [intro]
«Tecnologia Social - Brasilianas.org debate o papel da transformação social» [web] [intro]
«Transformação social com a robótica: Henrique Foresti» [web] [intro]

Liderar Inovando (PT)

«Transformação Social e Igualdade de Gênero: O Poder da Educação | Gina Vieira» [web] [intro]
«UAL aposta em projecto inovador» [web] [intro]
«Os desafios globais da Educação Universitária e o papel da Inovação e do Empreendedorismo!» [web] [intro]
«Outro Feminismo ou Pós-Feminismo» [web] [intro]

Liderar Innovando (ES)

«Novagob2015 Sesión Técnicas y tecnologías para transformar la administración» [web 1/3] [web 2/3] [web 3/3] [intro]
«“Grandes Innovadores Latinoamericanos”. Oppenheimer Presenta. #1436» [web] [intro]
«La forma en que Steve Jobs cambió el mundo» [web] [intro]
«La innovación es la respuesta» [web] [intro]

Mener avec Innovation (FR)

«Transformation d'une entreprise publique, X. Quérat-Hément» [web] [intro]
«Innovation, intelligence économique et industrie pharmaceutique - Fabienne Berthet» [web] [intro]
«Les Matins de France Culture - Innovation ou partage des richesses: quelle gouvernance économique pour la France?» [web] [intro]
«Tristan Nitot - "Le logiciel libre et le web au service du changement social"» [web] [intro]

Leadership and Innovation (EN)

«Design Thinking, Social Change and Governance Revolution in India feat. Vivek Srinivasan» [web] [intro]
«Future Day - John Smart Interview» [web] [intro]
«Clayton Christensen on disruptive innovation - Clarendon Lectures» [web] [intro]
«Smart society & Collaborative city. CC 2 - Social innovation» [web] [intro]

Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial 4.0 Internacional








2015/12/18

«Transformação social com a robótica: Henrique Foresti»





«Transformação social com a robótica: Henrique Foresti at TEDxLaçador.

»É mineiro de Varginha e atua nas áreas de Robótica e Eletrônica Embarcada. É engenheiro de sistemas do CESAR e gestor da área de robótica pedagógica da MixTecnologia. Técnico em eletrônica, graduou-se em Ciências da Computação pela UEMG e é Mestre em Engenharia Mecânica pela UFPE. Atua também como colaborador da Plataforma Robótica Livre, Robolivre.org, realiza a curadoria de vários eventos de tecnologia e desenvolve projetos de pesquisa e inovação em parceria com diversas instituições, em especial nas áreas de robótica pedagógica, robôs terrestres, veículos aéreos não tripulados e plataformas de telemetria, processamento e comunicação.

»In the spirit of ideas worth spreading, TEDx is a program of local, self-organized events that bring people together to share a TED-like experience. At a TEDx event, TEDTalks video and live speakers combine to spark deep discussion and connection in a small group. These local, self-organized events are branded TEDx, where x = independently organized TED event. The TED Conference provides general guidance for the TEDx program, but individual TEDx events are self-organized.* (*Subject to certain rules and regulations).» (TEDx Talks - TEDxLaçador)





A execução da inovaçao

2015/12/17

«Tecnologia Social - Brasilianas.org debate o papel da transformação social»





«http://tvbrasil.ebc.com.br/brasiliana...

»Diante da imensa contribuição da tecnologia para a solução de problemas do cotidiano, o Brasilianas.org desta semana analisa empreendimentos que oferecem soluções práticas para a transformação social.

»Paralelo a computadores, robôs e softwares, há o trabalho das pessoas que agregam uma dimensão social à inovação. O programa aborda as principais demandas da sociedade em termos de tecnologia; como a tecnologia tem facilitado a vida de pessoas com deficiência e o trabalho de quem atua na educação especial; e qual o potencial criativo brasileiro.

»Para o debate, o programa conta com a terapeuta ocupacional e sócia da Métodos e Soluções Inteligentes, Juliana Remorini, e o gerente de Parcerias, Articulação e Tecnologia Social da Fundação Banco do Brasil, Jefferson D'Avila de Oliveira.» (tvbrasil)





Uma inovação

2015/12/16

«Transformação social através do design de interação - H.D. Mabuse»





«Transformação social através do design de interação - H.D. Mabuse - IxDSA 2011.

»Na contramão de uma velha corrente conhecida no mercado brasileiro, a de que para trabalhar com inovação é preciso buscar oportunidades fora país, o C.E.S.A.R é um exemplo a ser seguido. Com equipes multidisciplinares, formadas por profissionais de engenharia e design com conhecimentos específicos também em outras áreas (não exatamente correlatas) tais como psicologia, música, antropologia e artes plásticas, é uma das maiores empresas de tecnologia de informação do Nordeste, com matriz no Recife. "Nossa premissa é a aprendizagem através do diálogo e da diversão", conta H.D. Mabuse, designer especialista atuante em estudos e projetos centrados no usuário. Mas a abordagem de Mabuse é algo "fora dos padrões" do que entendemos por colaboração. Para ele, o ideal é que o aprendizado extrapole a fronteira da educação e se confunda mais com um trabalho realizado colaborativamente e tendo sempre como pano de fundo o aspecto lúdico atrelado à inovação.

»Leia a íntegra do post em:

»http://www.gonow.com.br/blog/2011/12/...» (Gonow Tecnologia)





Um inovador

2015/12/15

«Empreendedorismo + Tecnologia + Inovação Social: Um giro pelo mundo»





«Painel VII - Empreendedorismo + Tecnologia + Inovação Social: Um giro pelo mundo.

»O empreendedorismo como conhecemos está passando por transformação. Entram em cena novos agentes: investidores de startups, laboratórios, incubadoras, aceleradoras - programas cada vez mais ousados, que oferecem ambientes de inovação com espaço para tentativa e erro além de acesso a redes e metodologias de ponta que aplicam empatia e construção com o usuário para desenvolver soluções efetivas. Como criar tais ambientes realmente transformando em prática o discurso da inovação e a nossa forma de fazer negócios?

»Painelistas: Carolina de Andrade (SGB), Julián Ugarte (Socialab), Emeline Paat-Dahsltron (Singularity University) e Michael Wray (GSBI, St. Clara University).» (Social Good Brasil)





Administração Pública e inovação

2015/12/14

Newsletter L&I, n.º 81-82 (2015-12-14)




Administração Pública e inovação | Administración Pública e innovación |
Administration Publique et innovation | Public Administration and innovation

Um inovador | Un innovador | Un innovateur | An innovator

Uma inovação | Una innovación | Une innovation | An innovation

A execução da inovaçao | La ejecución de la innovación | L’exécution de l’innovation |
The innovation execution



Liderar Inovando (BR)

«Inovação para Transformação» [web] [intro]
«O servidor e a administração pública no Estado contemporâneo» [web] [intro]
«Reformas habitacionais e transformação social: Fernando Assad» [web] [intro]
«Comunicação Como Ferramenta para a Transformação Social | Nádia Rebouças» [web] [intro]

Liderar Inovando (PT)

«O Portugal Democrático» [web] [intro]
«Robótica e Inovação Social - Entrevista com Prof. Pedro Lima» [web] [intro]
«Raízes - Programa de Inovação Social da Fundação Dom Cabral» [web] [intro]
«Economia Social em Portugal» [web] [intro]

Liderar Innovando (ES)

«Innovación y gestión del cambio en nuestras Administraciones Públicas» [web] [intro]
«Directivos 2.0 innovación y productividad social para tiempos de cambio. Alfonso Alcántara» [web] [intro]
«Emprendizaje en equipo, eje del cambio social: Iñigo Blanco» [web] [intro]
«La Biblioteca como espacio de innovación y aprendizaje colaborativo - Chris Coward» [web] [intro]

Mener avec Innovation (FR)

«Santé, mortalité, vieillissement, enjeux actuels: une table-ronde de l'Ined» [web] [intro]
«L'entrepreneur, principal agent de changement social: Patrick Chassagne» [web] [intro]
«Frédéric Mazzella (Blabla Car): "L'innovation doit favoriser le changement social"» [web] [intro]
«L'image comme moteur de changement social | Charlotte Marchesseault» [web] [intro]

Leadership and Innovation (EN)

«Brenton Caffin - The empathic state» [web] [intro]
«Do Social Innovators Produce Social Change?» [web] [intro]
«Social change at scale -- that's innovation!: Jim Fruchterman» [web] [intro]
«Kanika Gupta - Taking your Ideas into Action» [web] [intro]

Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial 4.0 Internacional








2015/12/11

«Comunicação Como Ferramenta para a Transformação Social | Nádia Rebouças»





«EVE - Palestra - Comunicação Como Ferramenta para a Transformação Social.

»Assista a palestra do 4º Seminário Ética e Responsabilidade Comunicação Social com a tema:Comunicação Como Ferramenta para a Transformação Social que aconteceu no dia 26 (segunda), e teve com palestrante a Publicitária Nádia Rebouças, que tem vasta experiência no mercado de comunicação e transformação social, vai falar sobre inovações e soluções para empresas, a trajetória de sucesso que começou com Ação da Cidadania, articulada pelo sociólogo Betinho, campanhas contra o racismo e a violência contra a mulher, fuga dos padrões tradicionais de publicidade, as mudanças de paradigma nas indústrias e comércio, como na CSN, Furnas, Vale, Petrobras e IBM. Nádia ainda vai contar sobre sua experiência internacional e como ancorou sua marca na África do Sul, Moçambique, Angola e Peru. Nádia vai percorrer em sua palestra caminhos possíveis nas áreas social, de publicidade e marketing. As redes sociais também devem entrar nesse debate sobre planejamento estratégico, assim como a consolidação da cidadania.» (Canal Unigranrio)





A execução da inovaçao

2015/12/10

«Reformas habitacionais e transformação social: Fernando Assad»





«Reformas habitacionais e transformação social | Fernando Assad | TEDxLaçador

»Fernando mostra a importância da escuta e de se ter um modelo de negócio justo para todos. Além de resolver um grande problema habitacional: reformas em favelas.

»Fernando é um entusiasta em processos de inovação social. Após se envolver em projetos de urbanização de favelas no Estado de São Paulo, notou a oportunidade e a necessidade de se pensar formas alternativas de melhorar a qualidade de vida dos cerca de 40 milhões de brasileiros que hoje vivem em moradias inadequadas. Dessa forma, junto a dois outros sócios, fundou o Programa Vivenda, um negócio social que realiza reformas de baixa complexidade e alto impacto social, focado em promover a melhoria da saúde da população de baixa renda. Fernando também é fundador da empresa de consultoria Giral Viveiro de Projetos, a qual possui mais de 10 anos de experiência no desenvolvimento e gestão de projetos socioambientais. É graduado e mestre em administração pela Universidade de São Paulo, e membro da rede de Responsible Leaders da Fundação BMW.

»This talk was given at a TEDx event using the TED conference format but independently organized by a local community. Learn more at http://ted.com/tedx.» (TEDx Talks - TEDxLaçador)





Uma inovação

2015/12/09

«O servidor e a administração pública no Estado contemporâneo»





«No dia do servidor público estadual comemoraremos com uma videoconferência sobre o papel do servidor na sociedade democrática. Refletiremos um pouco sobre a relevância e importância deste sujeito essencial para a construção de políticas públicas que alicerçam a nossa sociedade.

»Todos poderão participar enviando suas perguntas através de nosso chat do canal, pelo e-mail fundap.vc@fundap.sp.gov.br ou pelo twitter (@UCRH).

»Convidado: Jose Eduardo Campos de Oliveira Faria.

»Possui graduação em Direito pela Universidade de São Paulo (1972), mestrado em Direito pela Universidade de São Paulo (1977), doutorado em Direito pela Universidade de São Paulo (1981) e pós-doutorado pela Winsconsin University (Estados Unidos, 1984). Atualmente é professor titular do Departamento de Filosofia e Teoria Geral do Direito, da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Sociologia Jurídica, atuando principalmente nos seguintes temas: mudança social, poder e legitimidade, direitos humanos, globalização, transformações do poder judiciário, metodologia do ensino jurídico, direitos sociais e eficácia jurídica. Foi um dos ganhadores do Prêmio Jabuti de Literatura de 2012, na categoria de livros de Direito.» (UCRH21)





Um inovador

2015/12/08

«Inovação para Transformação»





«Evento Empreendedorismo como Vetor de Transformação Social realizado pelo Projeto Visão de Sucesso durante o Global Entrepreneurship Congress.

»Mais sobre o Visão de Sucesso em
http://www.projetovisaodesucesso.com.br

»Mais conteúdo sobre empreendedorismo e negócios em
http://www.endeavor.org.br» (Endeavor Brasil - Global Entrepreneurship Congress)





Administração Pública e inovação

2015/11/30

Newsletter L&I, n.º 80 (2015-11-30)




Administração Pública e inovação | Administración Pública e innovación |
Administration Publique et innovation | Public Administration and innovation

Um inovador | Un innovador | Un innovateur | An innovator

Uma inovação | Una innovación | Une innovation | An innovation

A execução da inovaçao | La ejecución de la innovación | L’exécution de l’innovation |
The innovation execution



Liderar Inovando (BR)

«Inovação e setor público: um ator em busca de um papel» [web] [intro]
«Na liderança, presidente do Einstein exalta medicina de valor» [web] [intro]
«Brasil compra inovação russa para proteção de empresas contra ataques cibernéticos» [web] [intro]
«6 descobertas surpreendentes sobre a geração Z no trabalho» [web] [intro]

Liderar Inovando (PT)

Filomeno dos Santos, presidente do Fundo Soberano de Angola: «Angola já passou por períodos difíceis, conseguiu ultrapassar e acreditamos no futuro» [web] [intro]
«Costa vai pôr economistas a estudar o que pode prometer nas eleições de 2015» [web] [intro]
«Guiné-Bissau conhece experiência de governação eletrónica de Cabo Verde» [web] [intro]
«A era dos Aceleradores – o coração dos ecossistemas de empreendedorismo» [web] [intro]

Liderar Innovando (ES)

«Los procesos de privatización sanitaria tienen que ser revisados uno por uno» [web] [intro]
«La Argentina después del cepo» [web] [intro]
«Lecciones de la innovación disruptiva» [web] [intro]
«Recursividad paisa es sinónimo de innovación frugal» [web] [intro]

Mener avec Innovation (FR)

«Brasil Ozônio: Quand le soutien de l’État propulse une entreprise» [web] [intro]
«Une vraie réforme de l'ENA: sa fermeture» [web] [intro]
«Pourquoi l'ENA reste indispensable» [web] [intro]
«Faire de l’argent avec la misère des autres» [web] [intro]

Leadership and Innovation (EN)

Vasundhara Raje, Chief Minister of Rajasthan: «Job creation is the new normal for Indian politics» [web] [intro]
«Bernie Sanders’s New Deal Socialism» [web] [intro]
«Political heavyweights are exiting DC to find a new home in Silicon Valley» [web] [intro]
«How to change the world with $10» [web] [intro]

Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial 4.0 Internacional








2015/11/27

«6 descobertas surpreendentes sobre a geração Z no trabalho»



Camila Pati. EXAME.com



«A sopa de letrinhas ganhou mais um reforço no ambiente de trabalho. Ao lado das gerações baby boomer X e Y, os novatos da Z (nascidos entre 1990 e 1999) começam a cumprir expediente e, com eles, novas perspectivas, novos anseios e objetivos de carreira dão o ar da graça nos escritórios. E é justamente isso que começa a ser investigado: afinal, o que eles – que em 2020 serão 20% da força de trabalho - querem e no que se diferenciam de seus veteranos?

»Pesquisa realizada pela Robert Half em parceria com a Enactus com 770 jovens Z traz luz aos seus sonhos de carreira. Confira algumas descobertas expostas no relatório sobre o levantamento:


»1. Menos Vale do Silício e mais Mad Men

»Nem escritórios abertos nem startups estreladas. Empresas médias são o local ideal para 41% dos entrevistados. Trabalhar para grandes companhias é o que desejam 38%. Apenas 14% disseram que uma startup é o ambiente ideal.

»A pesquisa também revela que 45% preferem trabalhar em salas individuais a dividir espaços com colegas de trabalho. Em relação à comunicação, a geração que cresceu se comunicando por mensagens surpreende: 74% disseram preferir uma conversa face a face.


»2. Mais realistas?

»A maioria (77%) acredita que terá que se esforçar mais do que as gerações precedentes para conquistar uma vida profissional plena e satisfatória. Mas sem descuidar do equilíbrio entre vida pessoal e profissional, a principal questão de carreira para 28% dos jovens da geração Z.

»Ganhar dinheiro é a segunda maior preocupação, com 26% das respostas dos jovens e garantir um emprego estável é o que desejam 23% dos participantes da pesquisa.


A maioria (77%) acredita que terá que se esforçar mais do que as gerações precedentes para conquistar uma vida profissional plena e satisfatória. Mas sem descuidar do equilíbrio entre vida pessoal e profissional, a principal questão de carreira para 28% dos jovens da geração Z. Ganhar dinheiro é a segunda maior preocupação, com 26% das respostas dos jovens e garantir um emprego estável é o que desejam 23% dos participantes da pesquisa.

»3. Quatro empresas no currículo

»Uma das principais reclamações a respeito do comportamento profissional da geração Y é a falta de vínculo com as empresas e as constantes trocas de emprego. Os jovens Z não seguem este modelo: querem trabalhar para uma média de quatro empresas ao longo da carreira, segundo a pesquisa.

»A estabilidade na empresa depende, no entanto, de um componente importante, o crescimento profissional. Em cinco anos, 32% dos jovens espera já estar gerenciando equipes. A aposentadoria aos 60 anos seria ideal para um terço dos jovens, mas apenas 17% acreditam que será possível.


»4. O cargo pouco importa

»Gerente, diretor, presidente. A nomenclatura não sobe à cabeça da Geração Z, apenas 3% citaram cargos como objetivos primordiais de carreira. Mais importante do que a posição é o caminho até ela. A oportunidade de crescimento profissional está entre as três prioridades de carreira mais lembradas por 64% dos entrevistados.


»5. Chefes íntegros

»Honestidade e integridade são as características mais buscadas nos chefes, segundo 38% dos jovens Z. A vontade de ensinar e de compartilhar experiências também é valorizada, 21% citam a capacidade de mentorar como essencial em um gestor.


»6. Baby boomers são os mais “temidos”

»A relação com os mais veteranos das empresas, os baby boomers (nascidos nas décadas entre 1945 e 1964) é a mais preocupante e desafiadora para 45% dos entrevistados. Antecipam dificuldades na relação com a geração X 17% e apenas 5% temem conflitos com colegas da geração Y.»





A execução da inovaçao

2015/11/26

«Brasil compra inovação russa para proteção de empresas contra ataques cibernéticos»



Sputnik Brasil



«Uma recente inovação do Centro de Engenharia da Universidade Russa de Investigação Nuclear do Instituto MePHI, que permite a proteção de empresas contra ataques cibernéticos, será implementada no Brasil. O novo equipamento automático se chama Escudo.

»A primeira empresa da região a implementar este sistema será a Sanepar — empresa estatal brasileira de abastecimento de água e saneamento do Estado do Paraná — disse o diretor do Centro de Engenharia do MePHI, Dmitry Mikhailov.

»O sistema, que inclui um equipamento e respetivo sofware, efetua uma abordagem integrada da proteção de sistemas automáticos contra influências nocivas e intrusão.

O novo equipamento automático se chama Escudo e inclui um equipamento e respetivo sofware, efetua uma abordagem integrada da proteção de sistemas automáticos contra influências nocivas e intrusão. Este sistema protege e informa sobre possíveis ataques e violações, tanto ao nível do operador de controle de processos tecnológicos, como ao nível de campo, onde se encontram os dispositivos finais, as linhas de comunicação, etc.

»Este sistema protege e informa sobre possíveis ataques e violações, tanto ao nível do operador de controle de processos tecnológicos, como ao nível de campo, onde se encontram os dispositivos finais, as linhas de comunicação, etc. O complexo inclui uma série de novas abordagens da proteção das informações, sendo um deles o controle do processo tecnológico.

»Os desenvolvedores do Centro de Engenharia já realizaram o exame inicial dos locais de instalação, dentro de um mês no Brasil eles vão começar uma auditoria pormenorizada dos sistemas automáticos da empresa para identificar suas características e adaptar o Escudo para as necessidades locais, uma vez que a parte final da solução é elaborada para cada cliente individualmente.

»Uma característica IC é que, além de entrega de soluções, a tecnologia é "ajustada" para o cliente, se necessário, é feita a integração com os sistemas existentes e fornece formação de especialistas locais. Se o cliente desejar alargar a funcionalidade – o Centro de Engenharia convida outros desenvolvedores. Desta forma, o cliente resolve não uma, mas uma série de questões relacionadas.

»O Escudo não é limitado a determinados setores e pode ser usado em infraestruturas estratégicas e empresas de acesso limitado. Diversas companhias da área do petróleo e gás, energia, construção, bancos e outros setores já mostraram interesse pelo novo sistema.»





Uma inovação

2015/11/25

«Na liderança, presidente do Einstein exalta medicina de valor»



Beatriz Santos. América Economia



«No topo dos melhores hospitais da América Latina pelo sétimo ano consecutivo, a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, nas palavras do seu presidente, Claudio Lottenberg, acredita que a excelência resulta de uma cultura a ser perpetuada.

»Lottenberg analisa o quadro da saúde no Brasil, a distribuição de leitos e defende que a crise é uma boa oportunidade para abrir o diálogo sobre a medicina baseada em valor. Leia a entrevista completa a seguir:


»AméricaEconomia – Como o senhor avalia o setor no Brasil? A saúde privada pode suprir o gargalo deixado pela pública?

»Claudio Lottenberg – A saúde no Brasil é tratada dentro da perspectiva do direito social e em função disso vem criando o maior sistema universalizante do mundo. Complementado pelo sistema suplementar, o setor enfrenta um caminho desafiador em questões relativas ao envelhecimento e à sustentabilidade. Em tese, a origem deste financiamento sempre será privada, pois no caso do público a fonte do recurso deriva dos impostos, o que significa que a saúde sempre será sustentada pela sociedade brasileira. A divisão de sistemas no país faz sentido quando discutimos quem realiza o pagamento junto ao prestador, mas quem executa esta prestação não deve ser, necessariamente, o público. Em um cenário em que vigore a segurança jurídica, bases reais de remuneração, estímulo à pesquisa, ao desenvolvimento e à inovação, tenho certeza que muito capital brasileiro da iniciativa privada estaria disposto a investir agregando uma melhoria natural de todo o sistema. Afinal, poucos países do mundo têm um mercado de saúde potencial do tamanho do brasileiro.


»AE – E na América Latina?

»CL – Os demais países da América Latina têm mecânicas próprias de financiamento que se ajustam em modelos muito diferentes dos nossos e diferentes entre si. O Chile, por exemplo, tem muita maturidade no contexto da seguridade social, a Venezuela trabalha de maneira intensa numa suposta medicina preventiva, mas sucateada em termos de avanços tecnológicos, e a Argentina se aproxima um pouco mais do que fazemos aqui.


»AE – O hospital se considera referência para a região?

»CL – Nossos números demonstram que o hospital vem recebendo cada vez mais pacientes de outros países, e aí me refiro aos despatriados e aos de turismo em saúde. O primeiro grupo deverá sofrer um retrocesso em função da diminuição da atividade econômica no Brasil e o segundo deverá ter um aumento em função da mudança da taxa de câmbio com a depreciação do real.


Nossos números demonstram que o hospital vem recebendo cada vez mais pacientes de outros países, e aí me refiro aos despatriados e aos de turismo em saúde. O primeiro grupo deverá sofrer um retrocesso em função da diminuição da atividade econômica no Brasil e o segundo deverá ter um aumento em função da mudança da taxa de câmbio com a depreciação do real.

»AE – Nos últimos anos, cresceu a adesão aos planos de saúde. O setor privado conseguiu suprir a demanda crescente?

»CL – Este fato traz ajustes importantes na necessidade de leitos e quem sabe este ponto seja importante para que repensemos os próprios modelos de prática assistencial. Uma das ferramentas básicas para utilização dos leitos é o acesso, mas a questão que surge é saber se cada um deles está sendo ocupado corretamente. Digo isto porque entendo que as estruturas hospitalares são numerosas e deveriam ser ocupadas por pacientes graves e de alta complexidade. O desenho hospitalar ao longo do tempo deverá ser revisto e a própria existência do hospital tem uma intensa conectividade com a base laboratorial questionada. Há, provavelmente, uma má distribuição de leitos em nosso país. Mas ampliar o número de leitos representa aumento de custos que não necessariamente signifique valor. Quem sabe este momento de crise seja uma belíssima oportunidade para questionarmos isto, abrindo diálogo sobre medicina baseada em valor, na qual o desperdício perde efeito e a eficiência passa a ser uma exigência fruto de métricas tangíveis.


»AE – Quais são os avanços em tecnologia?

»CL – O hospital investe em tecnologia sistematicamente. O maior investimento tecnológico que estamos fazendo é a implantação do sistema Cerner. Acreditamos que o database é um caminho sem volta e permitirá a análise de dados jamais visitados anteriormente. Tornar a saúde mais acessível depende de automação e isto exige uma base sólida partindo de dados confiáveis. Somente nesta frente, estamos investindo perto de R$ 200 milhões.

»A visão tecnológica do hospital não é de caráter instrumental somente. Arrisco dizer que a capacitação humana seja o grande investimento tecnológico. Estamos dando sinais claros a todos sobre esta visão quando criamos a área de ensino do relevo e cujo ponto mais direto é o da própria faculdade de medicina.


»AE – Há investimentos sendo feitos em novas especialidades ou no corpo clínico?

»CL – Estamos neste momento investindo em um novo modelo de relacionamento com o corpo clínico. A visão predominante de especialidades tenderá muito mais a um modelo de integração multidisciplinar e de várias especialidades. Constituímos os grupos médicos assistenciais focados em doenças mais prevalecentes, na qual especialidades diferentes se associam, inclusive com equipes não médicas, buscando pactuar rotinas, protocolos e melhores práticas. Esta avaliação é o embrião para a mecânica que deverá predominar no futuro.


»AE – Existem nichos preferenciais para aplicação de recursos?

»CL – A prioridade do hospital é em alta complexidade e processos de qualidade, mas a sua descentralização demonstra nossa intenção de focar também em processos ambulatoriais. Como acreditamos que a própria remuneração sofrerá uma mudança importante, estamos preparados para uma medicina de valor.


»AE – Quais os diferenciais do hospital em relação aos demais?

»CL – O Einstein nasceu e se desenvolveu com uma cultura que qualifico de inquietação e insatisfação permanentes. Quem sabe por isto ele busque sistematicamente melhorar mesmo aquilo que já é bem feito e busca novas formas de fazer. A excelência para alguns continuará sendo objeto de números, mas para nós, passa por eles, porém reflete um espírito de uma cultura que desejamos ver aqui perpetuados.»





Um inovador