2015/01/30

Internext



Internext



Escola Superior de Propaganda e Marketing

BRASIL

«The Journal Internext – Revista Eletrônica de Negócios Internacionais –has as its goal to be an academic mean for the production in the international management area. It welcomes professors, researchers, and graduation students in order to promote scientific articles, essays, and case studies of interest to the international management field, such as:

»- The internationalization of Latin American Companies;

»- The major companies strategies;

»- The headquarter/ branch relationship and the subsidiary role;

»- The understanding of the cultural differences in countries and regions;

»- Management styles in different cultures;

»- Common difficulties found in the global industries such as: illegal copying,global product consummer behavior and others;

»- Human resources international topics like: business administrator’s expatriation;

»- Knowledge transfer among branches of major companies;

»The list has as its goal to illustrate, not to restrain. The magazine aims to open possibilities to articles about theoretical discussions with a bibliographical content, understanding that the critical thinking in the international field is as important as the empirical research.

»As part of the social services rendering philosophy that leads ESPM, the magazine provides the articles to the community at no cost to the readers. .../...»





2015/01/29

Revista Pesquisa Naval



Revista Pesquisa Naval



Marinha do Brasil

BRASIL

«A Revista Pesquisa Naval (RPN) é um periódico científico de publicação anual que apresenta à comunidade científica uma coletânea de estudos desenvolvidos por pesquisadores das áreas científica, tecnológica e de inovação, cujos temas sejam pertinentes às áreas de interesse da Marinha do Brasil (MB).

»O periódico é publicado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha (SecCTM) e avaliado pelo Sistema de Classificação de Periódicos, Anais, Revistas e Jornais (QUALIS) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) nas seguintes categorias: “B4”, nas áreas de avaliação Engenharia II, Engenharia III, Materiais e Interdisciplinar; “B5”, nas áreas de avaliação Engenharia IV e Geociências; e “C”, nas áreas de Ciência da Computação, Astronomia/Física e Química. .../...»





2015/01/28

Scientia cum Industria



Scientia cum Industria



Universidade de
Caxias do Sul
Centro de Ciências Exatas e da Tecnologia

BRASIL

«Scientia cum Industria é uma revista de acesso aberto publicada pelo Centro de Ciências Exatas e da Tecnologia - CCET da Universidade de Caxias do Sul - UCS e tem como objetivo difundir trabalhos técnicos científicos, do país e do exterior, nas áreas de Inovação Tecnológica em Ciências e Engenharia e Ensino de Ciências e Engenharia. (Capa .../...)

»A revista publica artigos científicos, teóricos, experimentais e de revisão em português, inglês e espanhol, sobre temas variados na área de engenharia e tecnologias, tendo como público alvo pesquisadores, estudantes em todos os níveis, da graduação a pós-graduação e profissionais de diversas áreas afins. [...]

»A revista Scientia cum Industria têm como áreas de interesse a publicação de trabalhos em:

»– Inovação Tecnológica em Ciências e Engenharia.

»– Ensino de Ciências e Engenharia (Foco e Escopo .../...





2015/01/27

Sociedade, Contabilidade e Gestão



Sociedade, Contabilidade e Gestão



Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Faculdade de Administração e Ciências Contábeis (FACC)

BRASIL

«A revista Sociedade, Contabilidade e Gestão tem como missão contribuir para a construção, disseminação e integração de conhecimentos nas áreas de Contabilidade e Gestão, favorecendo o desenvolvimento social.

»Para isto a revista tem como objetivos: a) difundir o conhecimento na sociedade, b) estimular o debate tendo em vista a contribuição de diversas áreas de conhecimento, c) permitir uma percepção mais clara da realidade e d) expandir os limites do conhecimento.

»A revista aceitará artigos na área de auditoria, perícia contábil, contabilidade financeira, contabilidade gerencial, contabilidade ambiental, relatórios sociais, marketing, finanças, estratégia, organizações, logística, gestão de pessoas, gestão da informação, gestão de inovação e tecnologia e áreas congêneres. .../...»





2015/01/26

«Newsletter L&I» (n.º 38, 2015-01-26)



Publicações periódicas dedicadas à inovação (I) (Brasil)

Revista Brasileira de Inovação (RBI) [web] [intro]

Cadernos de Inovação em Pequenos Negócios 2014 [web] [intro]

Revista Inovação [web] [intro]

BISUS - Boletim de Inovação e Sustentabilidade [web] [intro]



Publicações periódicas dedicadas à inovação (I) (Portugal, África lusófona)

Revista HdF [web] [intro]

Portugal Inovador [web] [intro]

Boletim Águeda Empreende [web] [intro]

Revista Electrónica de Investigação e Desenvolvimento (REID) [web] [intro]



Publicaciones periódicas dedicadas a innovación (I)

Revista Innovación Social [web] [intro]

Compass. The 3DEXPERIENCE Magazine [web] [intro]

Innovamás [web] [intro]

[i2] Innovación e Investigación en Arquitectura y Territorio [web] [intro]



Publications périodiques dédiées a l'innovation (I)

Green Innovation [web] [intro]

FrenchWeb.fr. Le magazine de l'innovation [web] [intro]

Journal du Net [web] [intro]

Annuaire de la Recherche Développement Innovation [web] [intro]



Periodical publications dedicated to innovation (I)

INNOVATION. The Quarterly of the Industrial Designers Society of America (IDSA) [web] [intro]

Stanford Social Innovation Review (SSIR) [web] [intro]

International Journal of Innovation Management (IJIM) [web] [intro]

Bulletin of the Association for Information Science and Technology [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2015/01/23

BISUS - Boletim de Inovação e Sustentabilidade



BISUS - Boletim de Inovação e Sustentabilidade



Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Núcleo de Estudos do Futuro

BRASIL

«O Objetivo deste Boletim é promover o interesse dos alunos da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) em colaborar com pesquisas sobre o tema de Inovação e Sustentabilidade, como uma forma de contribuir com uma cultura de Desenvolvimento Sustentável na Universidade. .../...»

O BISUS é uma publicação liderada pelo Núcleo de Estudos do Futuro (NEF) da PUC-SP.





2015/01/22

Revista Inovação



Revista Inovação



Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Maranhão – FAPEMA

BRASIL

«A comunicação científica é fundamental para o êxito da pesquisa, pois legitima os atores envolvidos no processo, divulgando avanços e benefícios para a sociedade. A publicação do conhecimento aplicado nos laboratórios e centros de pesquisa possibilita o acesso aos resultados por parte dos interessados, além de estimular a atividade científica na academia.

»No processo de comunicação científica por meio impresso, as revistas científicas são veículos de referência, já que por meio delas os pesquisadores formam redes de colaboração, atualizando temáticas específicas e compartilhando conhecimento. As ferramentas de comunicação oferecidas pelas revistas científicas podem auxiliar substancialmente o trabalho de difusão científica ao agilizar e democratizar adivulgação do conhecimento gerado no ambiente acadêmico.

»Daí a importância deste instrumento. É dentro deste contexto que se insere a Revista Inovação – periódico científico produzido pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão – Fapema.

»Em sua 8ª edição, a RevistaInovação é apresentada ao leitor com algumas reformulações, novas editorias enovo projeto gráfico. São produzidos dois mil exemplares distribuídos gratuitamente nas escolas, universidades, instituições de pesquisa, Governos Federal, Estadual e Municipal e parceiros.

»De periodicidade trimestral, a Revista Inovação traz artigos científicos, agenda de eventos na área da Ciência, Tecnologia e Inovação, reportagens científicas especiais, entrevistas e curiosidades. A publicação ressalta o crescimento das pesquisas locais e reafirma a nova tendência dos trabalhos realizados no Estado: do pesquisador júnior ao sênior, os projetos produzidos são pautados pela preocupação com a melhoria da qualidade de vida e o bem-estar social. .../...»





2015/01/21

Cadernos de Inovação em Pequenos Negócios 2014



Cadernos de Inovação em Pequenos Negócios 2014



SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas)

BRASIL

«Sebrae lança [...], durante o Encontro Nacional dos Agentes Locais de Inovação (ALIs), a primeira edição dos Cadernos de Inovação em Pequenos Negócios. A publicação reunirá artigos com as 52 melhores experiências de inovação nas micro e pequenas empresas, a partir dos atendimentos prestados pelos agentes. O trabalho será disponibilizado no portal do Sebrae e terá formato de e-book para smartphones e tablets, além da plataforma do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) do Instituto Brasileiro de Inovação em Ciência e Tecnologia (IBICT) para consulta internacional.

»A publicação se desdobrará em três cadernos, que possuirão temáticas específicas: Engenharia, Tecnologia e Energia (Petróleo, Gás e Naval, Energias renováveis, Defesa, Aeronáutica e Espacial, TIC/Complexo Eletrônico, Construção Civil, Metalurgia, Bens de Capital, Química e Mineração), Indústria (Móveis, Automotivo, Agroindústria, Calçados, Têxtil, Confecção e Jóias, Celulose e Papel) e Comércio e Serviços (Serviços logísticos, Serviços, Comércio, Saúde, HPPC - Higiene, Pessoal, Perfumaria e Cosméticos). .../...»





2015/01/20

Revista Brasileira de Inovação (RBI)



Revista Brasileira de Inovação (RBI)



Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Instituto de Geociências (IG)

BRASIL

«A RBI - Revista Brasileira de Inovação, lançada em 2002, é uma iniciativa da Finep com o propósito de servir ao debate acadêmico e institucional sobre a inovação, contribuindo para o avanço da ciência brasileira e para o desenvolvimento nacional. A Revista é uma publicação semestral e está aberta à comunidade científica para divulgação de artigos originais, resultados de pesquisas e trabalhos que contribuam para o resgate da história das instituições brasileiras no campo da tecnologia e da inovação. Serão aceitos trabalhos nas seguintes áreas de estudo:

»• Economia industrial

»• Economia da tecnologia

»• Economia e sociologia da inovação

»• Ciência, tecnologia e trabalho

»• Ciência política

»• Teoria de organização

»• Gestão da inovação

»• Políticas de ciência, tecnologia e inovação

»• Mudança tecnológica e organizacional

»• História da ciência e da tecnologia

»• Tecnologia e relação de trabalho .../...»





2015/01/19

«Newsletter L&I» (n.º 37, 2015-01-19)



Internet das Coisas (Brasil)

Tim Dunn: «5 passos para marcas definirem uma estratégia de internet das coisas» [web] [intro]

Internet das coisas dominou esta edição da CES [web] [intro]

Indústria e academia unidas na internet das coisas [web] [intro]

Internet das Coisas tem infinitas possibilidades. BK Yoon, CEO da Samsung, comenta sobre o futuro promissor da IoT [web] [intro]



Diplomacia e inovação (Portugal, África lusófona)

Projetar Portugal – Ciência, tecnologia e inovação na diplomacia europeia [web] [intro]

Diplomacia na era digital. Entrevista com Norbert Riedel [web] [intro]

Miguel Costa, embaixador de Angola em França – A implementação de uma cooperação intensa e inovadora [web] [intro]

Diogo Agostinho: «Criar pontes no mundo» [web] [intro]



Nuevos materiales biodegradables

Monturas de gafas 100% biodegradables a partir de subproductos de la industria de zumos [web] [intro]

Proyecto europeo Succipack para el envasado sostenible de alimentos [web] [intro]

Adcellpack, nuevo envase biodegradable basado en celulosa para el sector de la alimentación, desarrollado por ITENE y un consorcio de empresas [web] [intro]

El mundo apuesta por nuevos materiales sustentables [web] [intro]



Réinventer

Jean Gattuso: «L'innovation, c'est de constamment se réinventer» [web] [intro]

La nouvelle Jaguar XE réinvente la stratégie marketing [web] [intro]

Bertrand Parmentier: «L’enjeu est aujourd’hui de réinventer l’entreprise dans la fidélité à ses valeurs et avec un nouveau mode de gouvernance collégial» [web] [intro]

NRF Retail Big Show 2015: considérer les clients comme des fans [web] [intro]



Innovation Failure

Henry Doss: «Why Big Business Fails At Innovation» [web] [intro]

Thomas D. Kuczmarski: «Memo to CEOs: Stop Blathering About Innovation and Do Something» [web] [intro]

Beatrice Ekwa Ekoko: «Failure is the new winning» [web] [intro]

Emmanuel Iruobe: «The Changing Role Of Failure» [web] [intro]





Licencia Creative Commons Licencia Creative Commons
Atribución-NoComercial
4.0 Internacional








2015/01/16

Internet das Coisas tem infinitas possibilidades.
BK Yoon, CEO da Samsung, comenta sobre o futuro promissor da IoT



Internet das Coisas tem infinitas possibilidades. BK Yoon, CEO da Samsung, comenta sobre o futuro promissor da IoT



Engarrafador Moderno

BRASIL

«O presidente e CEO da Samsung Electronics, BK Yoon, fez nesta segunda-feira, 05 de janeiro, o discurso de abertura da 2015 International Consumer Electronics Show (CES), pedindo mais abertura e colaboração entre as indústrias para liberar as infinitas possibilidades da Internet das Coisas (Internet of Things, IoC, na sigla em Inglês).

»“A Internet das Coisas tem potencial para transformar nossa sociedade, nossa economia e a forma como vivemos”, disse BK Yoon. “Cabe a nós nos unirmos – como indústria – e colaborar com diferentes setores – para transformar a promessa da Internet das Coisas em realidade”.

»BK Yoon enfatizou também que a IoT deve ser centrada em pessoas e adequar-se aos seus estilos de vida: “A Internet das Coisas não diz respeito a ‘coisas’. Pelo contrário, diz respeito a pessoas. Cada pessoa está no centro de seu próprio universo tecnológico e o universo de IoT se adaptará e mudará à medida que as pessoas forem transitando por seu mundo”, ressaltou o CEO da Samsung. .../...»





2015/01/15

Indústria e academia unidas na internet das coisas



Indústria e academia unidas na internet das coisas



Época NEGÓCIOS

BRASIL

«Abinee (Associação Brasileira da Industria Elétrica e Eletrônica) e Centro de Pesquisas Avançadas Wernher von Braun firmam acordo de cooperação. [...]

»Com o foco de viabilizar a inovação nessa indústria, foi assinado um acordo de cooperação técnica entre o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação (IPD Eletron), criado pela Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), e o Centro de Pesquisas Avançadas Wernher Von Braun, localizado em Campinas (SP). Mais uma vez, a união de esforços entre academia e indústria serve de exemplo para outros setores, de olho no futuro da inovação.

»Na opinião do presidente da Abinee, Humberto Barbato, graças à internet das coisas “a tecnologia estará em todos os lugares e objetos, o que não nos permitirá deixar de interagir com o mundo, sob pena de ficarmos alijados do desenvolvimento e dos negócios da era do conhecimento”. Com a parceria com o Centro Von Braun, o IPD Eletron pretende fortalecer sua atuação pela maior eficiência nos processos de produção e na competitividade das empresas dos segmentos de TIC, bens de consumo e componentes, que necessitam de uma constante modernização tecnológica. .../...»





2015/01/14

Internet das coisas dominou esta edição da CES



Internet das coisas dominou esta edição da CES



Olhar Digital

BRASIL

«Desta vez não foram as TVs Ultra HD, nem os carros conectados e semi-autônomos, muito menos os smartphones ou vestíveis; o principal assunto que dominou a CES 2015 foi a tão promissora Internet das Coisas – finalmente, afinal a gente já fala dela há bastante tempo! Parece que chegou a hora… Mais de 900 expositores, inclusive as gigantes LG, Samsung e Qualcomm para citar apenas alguns exemplos, aproveitaram o principal evento de tecnologia do ano para discutir e apresentar plataformas, conceitos e produtos que vão, de uma vez por todas, permitir que praticamente tudo ao nosso redor esteja online; conectado.

»Nos concorridos estandes, pudemos ter uma prévia de como nossa vida vai se tornar ainda mais conectada daqui em diante. Uma série de aparelhos e sensores poderão ser controlados através dos nossos aplicativos móveis em tablets, smartphones e, claro, agora também os smartwatches. É interessante imaginar que poderemos controlar tudo à distância: eletrodomésticos, iluminação, fechaduras, cafeteiras…inclusive nosso próprio carro! .../...»





2015/01/13

Tim Dunn: «5 passos para marcas definirem uma estratégia de internet das coisas»



5 passos para marcas definirem uma estratégia de internet das coisas



ProXXIma
Tim Dunn

BRASIL

«A comoção que emanou do CES em Las Vegas está, sem dúvida, deixando os executivos ansiosos para não perderem a próxima grande tendência. De projetores e camas inteligentes ao novo clube smart de golf, o evento certamente está dizendo algo para todo mundo neste momento.

»Se você trabalha em digital, então questões relacionadas à estratégia de internet das coisas estão surgindo de forma inevitável. Mas comprometer-se com inovação pelas razões erradas raramente leva ao progresso da carreira, então é melhor estar pré-armado com uma posição que defende projetos mal interpretados e que esteja preparado para o futuro de internet das coisas que está diante de nós.

»Embora a IoT e os wearables não sejam uma aposta de curto prazo, acredito que eles transformarão nossa realidade a longo prazo da mesma forma que o mobile têm mudado o mundo desde 2008. Prefiro ser o melhor do que o primeiro no mercado, então enquanto você espera que a legião de dispositivos e protocolos da conectividade cheguem de fato, saiba como se preparar para um lançamento bem-sucedido, talvez em 2016.

»1. Espere. Pode parecer fácil recusar o engajamento em uma área tão empolgante da tecnologia, mas o fato é que – com exceção do Apple Watch, talvez – nenhum dispositivo vai atingir a massa em 2015. Com o Echo, da Amazon e o Wand na fase dos testes e o Google Glass falhando na tentativa de livrar-se do rótulo “nerd”, consumidores não terão expectativas altas ou necessidades imediatas por pouquíssimos dispositivos conectados. E diante da falta de padrões entre dispositivos, as razões para mergulhar de cabeça parece fraca comparada aos riscos inerentes.

»2. Defina sua visão. Começar a definir “Que tipos de dispositivos devemos fazer ou usar” é como começar um romance pelas últimas dez páginas. Uma visão completa da experiência do usuário é exigida e irá incorporar elementos de produto, CRM, espaço físico, conteúdo e branding e exige muita integração com outros canais. A visão tem que oferecer razões completas para seus consumidores começarem a adotar um novo device ou comportamento, e deve ser testado com consumidores da vida real. Se não tiver valor genuíno para os consumidores, comece de novo.

»3. Construa seus programas. Qualquer marca que espera extrair o máximo da internet das coisas e dos wearables precisará reavaliar o estado atual de sua relação com os consumidores. Na realidade, consumidores se importam apenas um número pequeno de marcas, então lançar um novo dispositivo para uma base de usuários inativa será difícil. Então use esse tempo em que o mercado se desenvolve para construir programas, cupons, social media, serviços proativos e qualquer coisa que possa oferecer uma boa experiência para sua audiência. É o que as marcas deveriam estar fazendo, mas é importante que qualquer estratégia inovadora gire em torno do engajamento do consumidor.

»4. Construa sua infraestrutura. Uma vez que você tiver uma visão dos serviços personalizados que podem ser oferecidos pelos novos devices, há alguns blocos fundamentais que você precisa começar a entregar enquanto o mercado descobre se o Watch ou o Glass serão nosso destino digital. Planos para wi-fi e beacons podem ser implementados para conectar dispositivos no futuro. Por outro lado, uma infraestrutura robusta de dados e um sistema de automação de marketing serão necessários para assegurar que você ofereça serviços relevantes por meio desses novos dispositivos. Poucas empresas têm expertise ou tecnologia para entregar personalização, então é crucial investir nisso. Para a IoT, serviços na web serão fundamentais.

»5. Prove suas ofertas. É altamente provável que os dispositivos de IoT bem-sucedidos rodem em plataformas da Apple e do Google e atuem como extensões do celular. Isso significa que sua oferta principal pode ser operável no mobile, web e varejo antes que a internet das coisas vire tendência. Portanto, rodar seus novos programas em apps mobile ajudará a disseminar comportamentos na mente dos consumidores.

»Se os primeiros anos da IoT for como o boom de apss mobile entre 2008 e 2009, haverá muitos projetos falhos e muitos dispositivos abandonados no estoque.

»Mas se respirarmos fundo e nos concentrarmos no que os consumidores realmente querem, poderemos tirar o melhor do nosso novo mundo conectado.»