2017/02/09

«Solidariedade para viver melhor: Projeto Viver Melhor – UNIMED»



APAE Caxias do Sul



«Nos pampas gaúchos, mais especificamente na região de Caxias do Sul, mais de seiscentos médicos estão doando seu tempo e seu conhecimento para levar cidadania a quem mais precisa.

»Desde 1996, eles participam do programa Viver Melhor — uma iniciativa da Unimed Nordeste RS que oferece atendimento médico e exames gratuitos a 1.900 pessoas carentes, com deficiência física e/ou mental.

»O programa atende 18 organizações não-governamentais, em 13 municípios gaúchos. No início, os cooperados doavam consultas médicas para os integrantes dessas instituições.

»A partir de 2006, foi incluída uma série de exames específicos apontados como fundamentais ao desenvolvimento desses pacientes. Desde então, o Viver Melhor contribuiu significativamente para qualidade de vida de milhares de cidadãos com deficiência, ajudando-os a evoluir em seus tratamentos de saúde.

»Um dos cuidados do projeto é tratar cada beneficiado como um paciente comum. Para garantir que isso aconteça, a cooperativa criou um cartão igual aos dos planos privados para esse público. O documento é apresentado em toda consulta — um gesto simples que tem aumentado a autoestima dos pacientes e de seus familiares. Além disso, ele tem acesso aos mesmos médicos e exames que os outros clientes da cooperativa.


Desde 2006, o Viver Melhor contribuiu significativamente para qualidade de vida de milhares de cidadãos com deficiência, ajudando-os a evoluir em seus tratamentos de saúde.

»AGILIDADE

»Conseguir um diagnóstico precoce aumenta significativamente as chances de cura, melhorando também a qualidade de vida de qualquer paciente. E esse talvez seja um dos principais impactos do programa Viver Melhor na vida de seus beneficiários.

»“Se não fosse pelo projeto Viver Melhor, a maioria dos nossos alunos estaria desassistida, dependendo do agendamento de consultas especializadas no SUS, o que muitas vezes demora meses ou até mesmo anos”, explica Cristiane Luz, assistente social da Associação Helen Keller, ONG que atende pessoas com deficiência na audiocomunicação.

»De fato, antes de serem atendidos pela Unimed Nordeste RS, esses pacientes esperavam até cinco meses por uma consulta ou exame na rede pública de saúde. Hoje, eles são atendidos por um médico ou hospital voluntário em no máximo quinze dias. “Isso minimiza a dor dessas pessoas”, constata Cecília Damin, assistente social do Insituto da Audiovisão (Inav). “Nossos beneficiados são pessoas carentes e sem possibilidade de ter um plano particular. Graças à Unimed Nordeste RS, eles podem ter mais qualidade de vida”.

»Após receber o tratamento médico adequado, muitos dos beneficiados conseguem ingressar no mercado de trabalho. E sempre que isso acontece, eles fazem questão de virar clientes da Unimed. Afinal, mais do que ninguém, eles reconhecem a qualidade do trabalho realizado pela cooperativa e o compromisso de cada médico cooperado com o desenvolvimento pleno da comunidade por eles assistida.


»Projeto: Viver melhor

»Unimed Nordeste RS

»Ramo: Saúde

»Ano de fundação: 1972

»Local: Caxias do Sul (RS)

»1.900 pessoas com deficiência atendidas gratuitamente pela cooperativa.

»625 médicos voluntários.

»15 dias é o tempo médio para atendimento de um paciente do programa Viver Melhor.

»R$ 588,9 mil Investidos na realização das consultas e dos exames realizados pelo projeto no ano de 2015.»





Inovação e invenções

Nenhum comentário:

Postar um comentário